Publicado em: 07/02/2020


Da Prefeitura de São Paulo vem uma notícia muito bacana, sobre inclusão, algo tão fundamental para a boa saúde de uma sociedade.

É que Bruno Covas, prefeito da maior cidade do país, sancionou – no último dia 14 – uma lei que obriga os cinemas paulistanos a realizarem, pelo menos uma vez por mês, uma sessão devidamente adaptada a crianças e adolescentes com Transtorno do Espectro Autista (TEA).

Olha que bacana! 

Em seu texto, a Lei 17.272/20 traz que, durante as sessões moldadas ao público referido, as luzes fiquem levemente acesas, o volume esteja um pouco mais baixo do que o habitual e não ocorra publicidade comercial.

A circulação dos espectadores pelo interior da sala também deve ser garantida, assim como a entrada e a saída durante a exibição do filme.

Ainda ficou determinado que as sessões sejam identificadas com o símbolo mundial do espectro autista na entrada da sala de exibição. Não há ingerências em relação ao valor dos ingressos.

Pois é, agora é lei e quem descumpri-la vai receber, na primeira vez, uma advertência. Para o caso de reincidência está prevista multa, de R$ 3 mil. A segunda reincidência acarretará uma outra multa, de R$10 mil, e, se ainda assim, o descumprimento da lei se repetir, o estabelecimento pode ser interditado.

Os valores das multas sofrerão reajustes anuais, de acordo com a variação do Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA).

A lei deve entrar em vigor em abril, 90 dias após sua publicação no Diário Oficial do Município.

Crianças e adolescente com Transtorno do Espectro Autista (TEA) agradecem a iniciativa. Eles também merecem curtir a 7ª. Arte!


[Fonte: UOL // Entretenimento]