Publicado em: 05/06/2019


Que tal, por meio de um site na internet, poder inspecionar um corpo celeste no espaço e, assim, contribuir com a Nasa sem sair da sua cadeira, hein?


Se você é aficionado (a) por Ciência, pelo espaço, mas – ainda que saiba que a evolução possibilita avanços mesmo – já tá aí pensando que isso é impossível, nós vamos te dizer: é viável, sim.

Aliás, totalmente viável.

Vamos te contar de que jeito isso pode acontecer.

É que a sonda OSIRIS-REx está mapeando o asteroide Bennu – em detalhes – desde dezembro do ano passado. A rocha espacial tem quase 500 metros de diâmetro e quase 78 bilhões de quilos. Ela está sendo fotografada bem de pertinho – a cerca de 5 km de altura -- pelo veículo da Nasa.

É aí que você entra.

Como cientista voluntário (a).

Do conforto da sua cadeira, você pode – pelo computador – contribuir com o desenho de um mapa de risco que aponta os pedregulhos mais perigosos para um futuro pouso da OSIRIS-REx. O “quadro” tem sido “desenhado” a partir de fotos já tiradas do Bennu.

A Nasa procura um local de coleta de amostras seguro, visto que após chegar no asteroide, descobriu que o Bennu tem uma superfície extremamente rochosa e que cada pedregulho representa um perigo para a segurança do veículo quando este tentar um pouso.

Bom, agora que já te explicamos o intuito da missão...bora ajudar a Nasa?

Você pode ser atuar como cientista voluntário (a) por meio do site Bennu.cosmoquest.org. No endereço poderá medir os pedregulhos do Bennu e mapear suas rochas e crateras.

Super interessante, não?

Para contribuir com a Ciência você só precisará de um computador com tela grande e de um mouse que faça marcas precisas.

Só para você saber, o asteroide – que orbita ao redor do Sol – fica, atualmente, a 135 milhões de quilômetros da Terra.

Vai “trabalhar” longe de casa, hein?

Se você se interessou, se apresse aí.

A campanha para mapear o Bennu termina em 10 de julho, data em que a missão inicia o processo de seleção do local de recolhimento de amostra.

E, por fim, qual a razão de tudo isso?

Trema aí na cadeira: a Nasa busca o maior número de informações a respeito do Bennu porque há uma possibilidade de o asteroide colidir com a Terra, ali por volta de 2135.

Dito isso...bom trabalho aí, Capitão (ã) Kirk! 

Ou comandante Spock. Fica a seu critério.

De acordo com a trama de “Jornada nas Estrelas” – série norte-americana de ficção científica, produzida entre 1966 e 1969, que encantou o mundo todo – você já é um (a) tripulante da nave Enterprise!


[Fonte: UOL Notícias // Ciência]