Publicado em: 24/05/2019


Houve uma época em que a área de RH das companhias destinava-se apenas a controles e treinamentos, certo?


Pois é, este tempo já vai longe.

Nos últimos 15 anos, além dos reveses da economia, as empresas precisaram ter estofo para enfrentar – também – o aumento da concorrência interna e externa.

Para passar por isso tiveram de rever seus modus operandi, necessitaram reinventar-se, precisaram mudar sua formas de produzir, vender e trabalhar.

Visto que nesta engrenagem de competição, as roldanas (ajustadas e fundamentais) são os funcionários – ou seja, os grandes responsáveis por colocar novas estratégias em prática – rapidamente ficou claro que a Gestão de Pessoas precisava fazer parte dos temas do alto escalão das companhias.

Natural. Para se destacar entre os concorrentes era preciso saber atrair, reter e engajar talentos.

Era e continua sendo. E permanecerá assim. Não há mais volta. Tal habilidade tornou-se uma vantagem competitiva.

Profissionais da área dizem que o setor de Recursos Humanos passou por uma grande revisão de conceitos e, hoje, funciona mais como uma consultoria para a área de negócios da empresa. 

E qual é o grande desafio do RH para o futuro?

Nós te respondemos: encontrar formas de trazer mais agilidade para os negócios com o uso da tecnologia.

Isso mesmo! Embora a área permaneça fiel aos seus preceitos básicos, primordiais – relativos ao coração e às pessoas e que envolvem cuidados com o clima, com os conflitos e com as ansiedades – hoje, ganhou atribuições que remetem ao uso do big data e da inteligência de dados.


[Fonte: www.valor.com.br]